19/12/2018

A Associação Brasileira da Indústria de Semicondutores (ABISEMI) reuniu empresas e entidades associadas e representantes do Governo Federal e de órgãos setoriais na noite desta segunda-feira (17.12), em Brasília, para avaliar os desafios vivenciados pelo setor em 2018 e as perspectivas de atuação para 2019. O encontro seguido de jantar aconteceu no restaurante Coco Bambu Lago Sul.

Na ocasião, foi discutido o trabalho desenvolvido pela associação nos últimos anos para a defesa e aperfeiçoamento do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores (Padis) junto ao Governo Federal. 

Outro assunto debatido foi o resultado do Painel da Organização Mundial do Comércio (OMC) divulgado no dia 13 de dezembro. Segundo o Presidente da ABISEMI, Rogério Nunes, as decisões finais da OMC foram na direção esperada pela indústria brasileira e representaram vitórias muito importantes para o setor de semicondutores brasileiro.

Isso só foi possível graças ao excelente trabalho desenvolvido pelo Itamaraty, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) na defesa desses programas tão relevantes para o país.

Nunes destacou também o maior tempo de implementação previsto pela decisão da OMC que dará boas condições para discutir a nova redação da Lei de Informática que precisará ser mudada em função do benefício atualmente previsto para o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Em vez de redução do IPI, o caminho deverá ser o subsídio direto. Ele também salientou que a o resultado da OMC manteve o Padis, ainda que a questão do IPI também tenha de ser ajustada para a mesma condição relativa à Lei de Informática.

Divulgados os resultados da OMC, segundo Nunes, um ação importante da ABISEMI para 2019 será trabalhar junto ao novo Governo para a revisão da Lei de Informática e para o processo de revisão e aperfeiçoamento do PADIS. O Presidente da ABISEMI comentou ainda que uma das metas para o próximo ano é clarificar que os benefícios do setor de semicondutores no Brasil,  o Padis, apenas coloca o Brasil em melhores condições tributárias, mas ainda aquém dos demais países fabricantes, e apresenta um custo adicional no Brasil que ainda precisa ser equalizado. Mesmo assim, a indústria brasileira fornece produtos de ponta, em igualdades de condições de fornecimento mundial, de qualidade e de confiabilidade.

Além disso, os participantes do encontro também destacaram o papel desempenhado pela ABISEMI que desde a sua fundação, em 2014, atua estrategicamente na interlocução da indústria de semicondutores nacional junto ao Governo Brasileiro e a órgãos setoriais dedicados ao tema. O ex-presidente Ricardo Felizzola disse ainda que a indústria de semicondutores cresceu muito no Brasil e que a ABISEMI é fruto desse desenvolvimento.

Dentre os demais participantes do evento estiveram o vice-presidente da ABISEMI, Alex Melo, o diretor Paulo Júnior, a Diretora Institucional, Rosana Casais, e a Diretora Executiva, Mariangela Monfardini Biachi, além de demais representantes das associadas e membros colaboradores da ABISEMI.

Destaca-se também a presença do secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do MDIC, Igor Calvet; do analista de Comércio Exterior do MDIC, José Ricardo Ramos Sales; do Coordenador-Geral de Ciência e Tecnologia do MCTIC, Henrique Miguel, do Gerente-Executivo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), João Emílio Padovani Gonçalves; e do especialista em políticas e indústria na CNI, Vinicius Fornari.  

Compartilhe: